Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘jornal’

Congresso Estadual dos Jornalistas – Audálio Dantas, eu vou!

E você, vai ficar de fora dessa???


 

Hoje (21/09) começa o 14º Congresso Estadual dos Jornalistas de São Paulo intitulado “Jornalismo e Trabalho no Século XXI”  e organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, que neste ano, homenageará o jornalista Audálio Dantas.

O encontro lançará luz as questões do mundo do trabalho do jornalista através das teses “Organização e Unidade dos jornalistas”, “Fraude no Trabalho: precarização, PJ e multiplataforma”, “Condição de Trabalho: saúde e segurança dos jornalistas”, “Jornalismo Ambiental” e “Novo Marco Regulatório das Comunicações e o papel dos jornalistas”.

Confira a programação e para saber mais sobre o congresso, clique aqui:

21 de setembro (sexta-feira)

17h – Credenciamento no local do Congresso

20h – Abertura solene – Teatro Municipal

20h30 – Ato: 75 anos do SJSP e homenagem ao jornalista Audálio Dantas

21h – Abertura da Exposição Fotográfica – Coquetel

 

22 de setembro (sábado)

8h – Café da manhã

9h – Assembléia: Escolha da mesa diretora dos trabalhos e da comissão da Carta de Caraguatatuba

10h – Plenária

12h – Almoço

13h30 – Plenária

14h – Encerramento do credenciamento

16h – Coffee Break

16h15 – Plenária

18h – Ato: Jornalistas Vítimas da Ditadura Militar – Memória, Verdade, Justiça e Direitos Humanos

19h30 – Jantar

20h30 – Evento Cultural

 

23 de setembro (domingo)

8h – Café da manhã

9h – Plenária Final: eleição dos delegados para o Congresso Nacional e aprovação da Carta de Caraguatatuba

11h – Sessão Solene de encerramento

12h – Almoço

 

Se você quer contribuir com  as discussões e a construção da luta da categoria, saiba que ainda dá tempo de garantir uma vaga como observador.

Participe, porque essa luta é de tod@s nós!

Read Full Post »

Encomendado pela Secom (Secretaria de Comunicação do Governo Federal), o “Relatório de Pesquisa Quantitativa – Hábitos de Formação e Informação da População Brasileira” mereceu pouquíssima análise da imprensa escrita, apesar de já ter inspirado anúncios da Rede Globo sobre pontos que lhe são favoráveis.

Dados interessantes da pesquisa:

• A TV aberta é de longe o meio preferencial para obter informações;
• 15,5% consideram a Internet o meio preferencial para obter informações, contra 6,4% dos jornais impressos e 0,5% das revistas;
• 80% dos entrevistados acreditam muito pouco ou nada nas notícias veiculadas pela mídia.

No total,  46,1% dos entrevistados afirmaram que costumam ler jornais; 34,9% lêem revistas. Dos que lêem jornais, 24,7% afirmam ler diariamente – ou seja, 11,4% do universo pesquisado. 30,4% dos leitores de jornais – ou 14% do universo pesquisado – afirmam ler em média um dia por semana.

A maior parte dos leitores de jornais está na Região Sul (54,1%) e Sudeste (52,7%). No caso das revistas, Sudeste (39,4%), Sul (38,0%) e Centro-Oeste (37,6%). O menor índice de leitores de jornais está no Nordeste (27,7%) e dos de revistas na Região Norte (29,4%) e Nordeste (30,7%).

“Veja” é lida pela metade dos leitores de revistas. Em seguida, bem abaixo, “Época” e “IstoÉ”. Mas apenas 0,5% considera as revistas como seu meio preferencial para obter informações.

A Internet já tem alta penetração. 46,1% dos maiores de 16 anos já acessam. Desses, 66,5% a partir de sua própria residência; desses 66,5%, 65% já possuem banda larga.

Nas faixas de renda mais elevadas (acima de 10 salários mínimos), o percentual de acesso à Internet chega a 79,7%. Entre o público mais jovem (16 a 24 anos) o percentual de acesso à Internet chega a 68,8%, caindo para 14,9% acima de 50 anos.
Interessante a avaliação sobre o papel das lideranças comunitárias. 15% dos entrevistados as consideram fonte de informação. Desse total, 45,6% confiam mais nas suas informações, contra 49,6% que acreditam que as informações dos meios de comunicação (incluindo rádio e TV) são mais esclarecedoras.

Credibilidade da mídia

E aí se entra na credibilidade da velha mídia.

A maioria absoluta dos entrevistados (57,3%) consideram tendenciosas as notícias veiculadas, contra 24,3% que acreditam em notícias isentas e imparciais.

Quanto se pergunta da credibilidade dos meios de comunicação, 72,1% afirmam acreditar muito pouco; 7,2% não acreditam nada. 18,8% acreditam muito.

A população que mais acredita na mídia é a do Nordeste, com 28% considerando as notícias isentas e imparciais e 25,7% acreditando muito no que é dito.

Já no Sul, comente 19,9% consideram as notícias isentas e imparciais; e meros 10,5% acreditam muito no que é dito pelos meios de comunicação.

O curioso é que dentre os consumidores preferenciais da mídia – classes de renda mais elevadas – é maior a proporção dos que consideram as notícias em geral tendenciosas e parciais.

Não significa que não consumam as notícias – 82,9% as utilizam no cotidiano e 62% admitem que, algumas vezes, mudam seus pontos de vista a partir de informações dos meios de comunicação.

Outros 26,5% nunca mudam seus pontos de vista em função das informações transmitidas pelos meios de comunicação.

Os meios mais confiáveis

Quando instados a identificar os meios de comunicações mais confiáveis, 69,4% apontam a TV aberta e 7,2% a rádio.

Em seguida vem a Internet (6,5%) acima do jornal impresso (6,3%) e das revistas (0,9%).

Em relação ao meio de comunicação mais importante para buscar informações, a TV aberta continua absoluta (69,4%). Mas a Internet vem em segundo, com 15,5%, batendo o rádio (6,4%), o jornal impresso (5,6%) a TV por assinatura (2%). Revistas são consideradas por apenas 0,5% da população.

Em relação à formação de opinião sobre o governo federal, o meio mais importante para formação da opinião são os jornais da televisão (73,6%), conversas com amigos/parentes (12,9%), jornais impressos (12,7%) e Internet (10%).

Blog do Nassif

Divulgado: Portal CTB

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: