Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cinema/Documentário’ Category

50tonsdecinzaFui assistir ao famosinho “50 Tons de Cinza”, baseado no fenômeno editorial dos últimos anos. E já posso adiantar que foi pura decepção, do começo ao fim. “50 Tons de Cinza” é udo preto no branco: um manda e o outro obedece: sem questionar… e, principalmente, não pode raciocinar sobre o assunto e nem se envolver emocionalmente. Tudo frio e calculista… baseado na dor do prazer!

Depois de ler muitas críticas a respeito do livro homônimo e tantas outras sobre o filme, minha expectativa já estava bem baixa, mas lá no fundo guardava uma esperança de ser surpreendida por um filme onde a sexualidade fosse tratada com seriedade. Sei lá… Esperava um filme que apresentasse a temática da liberação sexual e amores possíveis e sem limites com mais propriedade. Ledo engano!

Também, que ideia mais besta essa minha de achar que essas questões tão complexas seriam tratadas numa película baseada numa literatura ficcional.

Do que trata “50 Tons de Cinza”?

De acordo com a sinopse do best-seller erótico:

“Anastasia Steele é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Um dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey. Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey”.

Mas na verdade a história é bem batida: uma relação entre um “total control freak” bilherdário sádico e uma pobre garota virginal.

Putz, quer coisa mais clichê?

O enredo uma garota inocente, virgem, consumida pelo amor e pelo desejo e confusa diante de um cara riquíssimo, controlador, misterioso e incapaz de demonstrar afeto. Nussaaaa que história inédita! Rsrsrs

Por alguns momentos me senti teletransportada para o universo dos livros romanceados de Sabrina, Julia, Bianca etc., bem aquele tipo literário que detesto.

A partir disso, a garota encantada com a luxuria e super perdida nas emoções não sabe se deixa-se levar pelas possibilidades do mundo sadomasoquista (prazer sexual + dor) ou se mantém sua convicção de buscar uma relação amorosa saudável a qualquer custo.

Os sadomasô’s que me desculpem, mas duvido que esse filme os represente, porque já vi cenas mais elaboradas, sugestivas e picantes no filme “9 ½ Semanas de Amor”, que data de 1986, do que no “50 Tons de Cinza”.

A única coisa de útil no filme “50 Tons de Cinza”, como disse dia desses, Léo Jaime no programa Saia Justa da GNT, foi introduzir o assunto do fetiche e da fantasia sexual abrindo o horizonte para a visão de que um tapinha não dói, claro, sem violência! Tornando “mais amenas” as práticas sexuais atípicas.

50tonsdecinza_bilhete_cinemaNão li o livro e provavelmente não lerei (mais porque não curto literatura ficcional, do que pelo tema propriamente dito), mas fiquei decepcionada com o conteúdo do filme.

A princípio achei que se tratava de um filme um pouco mais moderninho… revolucionário, tendo em vista o estardalhaço midiático que causou o livro, e que apresentava ideias sexuais libertárias, pra além do sadomasoquismo. Mas me deparei com um filme água-com-açúcar onde o amor e o sexo são tratados sob a riste de um contrato jurídico que estabelece o que pode ou não conter na relação do casal.

E a ideia de que no amor e na guerra valem tudo?

No caso do filme, só vale tudo aquilo que está previsto no contrato: sexo: pode; carinho: não pode; dor: pode; andar de mãos dadas: não pode; prazer: pode: amor: não pode!

Mesmo apresentando uma história de senso comum, o filme já ganhou notoriedade e o Portal 50 Tons anuncia:

“… foi a maior estreia brasileira da Universal Pictures até hoje, e a quarta maior estreia da história do cinema no país”.

Acredito que muitas que leram o livro e tantas outras como eu, curiosas de plantão, correram ao cinema para ver o tal acontecimento literário em película. E boom… sucesso de bilheteria!

“50 Tons de Cinza” é um filme preto no branco que sugere que numa relação de submissão o amor fica de fora. Ele não tem nada de romântico, nada de pervertido nem de sadomasoquismo. Tem tudo a ver com uma antiga ideia cristã (sim, cristã e machista) de que a mulher deve se submeter ao homem e suas vontades sem questionar ou exigir algo em troca. Ideia arcaica já superada por todas nós há muito tempo.

Pelamor, né! Espero que as próximas adaptações sejam melhores!

Ainda bem que a companhia no cinema era ótima e valeu muito o encontro!

Amor e Sexo – Rita Lee
Amor é um livro
Sexo é esporte
Sexo é escolha
Amor é sorte

Amor é pensamento, teorema
Amor é novela
Sexo é cinema

Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa
Sexo é poesia

O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão
Sexo é pagão
Amor é latifúndio
Sexo é invasão
Amor é divino
Sexo é animal
Amor é bossa nova
Sexo é carnaval

Amor é para sempre
Sexo também
Sexo é do bom…
Amor é do bem…

Amor sem sexo,
É amizade
Sexo sem amor,
É vontade

Amor é um
Sexo é dois
Sexo antes,
Amor depois

Sexo vem dos outros,
E vai embora
Amor vem de nós,
E demora

Amor é cristão
Sexo é pagão
Amor é latifúndio
Sexo é invasão
Amor é divino
Sexo é animal
Amor é bossa nova
Sexo é carnaval

Amor é isso,
Sexo é aquilo
E coisa e tal.
E tal e coisa.

Ah, o amor…
Hum, o sexo…

Só pra registrar: “De acordo com a Classificação Internacional de Doenças F65.5 o sadomasoquismo é considerado doença se apenas a atividade é a fonte de estimulação mais importante do casal ou é necessária para a satisfação sexual. O sadomasoquismo pode causar agressões, traumas e morte”. (Wikipédia)

Read Full Post »

cartaz_mostra_lutaDomingo (19) é o último dia para conferir a “7ª Mostra Luta!”, que está ocorrendo em vários locais públicos, como praças, comunidades e museus de Campinas. O objetivo da mostra é garantir espaço de exibição e debate de filmes que abordem as lutas sociais, além de estimular a produção audiovisual sobre a realidade e a luta da classe trabalhadora, dos movimentos sociais e populares.

Ao longo dos anos a “Mostra Luta!” tornou-se um importante espaço político cultural de debate e atua na promoção, discussão e difusão das lutas sociais, fazendo um contraponto ao conteúdo divulgado pelos grandes veículos de comunicação.

Segundo os organizadores do evento sua origem está na vontade de criar canais de comunicação popular entre os movimentos sociais, os oprimidos e os explorados; da necessidade de lutar contra a criminalização dos movimentos populares e do desejo de falar e quebrar o enorme silêncio que é imposto pelo monopólio da mídia.

Nesta sétima edição, a mostra cultural conta com a exibição de filmes, mesas de debate, exposição de desenhos e trabalhos fotográficos, teatro, dança e música que, abordam a Cultura Negra em Campinas e os 50 anos do golpe civil-militar de 1964. Em paralelo será realizada a 2ª Mostra Luta Itinerante em várias escolas públicas de Campinas para alunos do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Cineasta Renato Tapajós lança filme polêmico na abertura da mostra

Entre tantos trabalhos significativos que já foram exibidos, o destaque ficou para o lançamento do filme “Corte Seco”, com direção do cineasta Renato Tapajós, exibido no dia 10 de outubro, no Museu da Imagem e do Som.

O longa metragem “Corte Seco” investiga a tortura praticada pelos órgãos de repressão durante a Ditadura implantada pelo golpe de 1964. Ele conta a história de quatro militantes que lutavam contra o regime militar, presos e violentamente torturados pela Operação Bandeirantes (OBAN), em 1969.

Matéria publicada originalmente no Jornal do Centro

Matéria publicada originalmente no Jornal do Centro

O filme é a primeira obra de ficção desse jornalista, escritor e documentarista que tem uma vasta produção filmográfica com

ênfase na temática da Ditadura Militar. Entre suas obras estão: “Linha de Montagem”, “No Olho do Furacão”, “Em Nome da Segurança Nacional” e “Universidade em Crise”.

A programação completa da “7ª Mostra Luta!” e mais informações podem ser obtidas em www.mostraluta.org. Ressalto que as atividades são gratuitas e que haverá transmissão ao vivo na web pelos sites www.socializandosaberes.net.br e www.us.twitcasting.tv/mlivrevaijao.

A mostra é organizada pelo Coletivo de Comunicadores Populares, Museu da Imagem e do Som, Coletivo Moinho, Ponto de Cultura Griô Nina, Socializando Saberes e Mídia Livre Vai Jão. Com apoio do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção e do Mobiliário de Campinas e Região, Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp, Sindicato Químicos Unificados e Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região.

PROGRAMAÇÃO:

15 de Outubro

19h: Exibição de filmes – Sessão 5 – Sala Glauber Rocha

– “Crônica de uma obra aberta”, de Alberto Cohon, Flávio Ferrão, Viviana Echávez Molina

– “Quem Não É Visto, Não é Lembrado”, de Gabriel Barcelos

– “Independência ou….”, de TV VIVA

– “Jornada dos Povos na Serra do Padeiro”, de Angel Luis Gonçalves Rodriguez, Brigada Audiovisual dos Povos, Rede Mocambos

– “Exercícios fílmicos de Mídia Colaborativa e Produção Partilhada do Conhecimento” de Coletivos de Mídias Livres Campinas

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859, Centro

16 de Outubro

19h: Tecnologias e Lutas: Pré-Encontro de Comunicadoras e Comunicadores Livres de Campinas

Com a presença de TC Silva, Casa de Cultura Tainã + convidadas e convidados

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859, Centro

17 de Outubro

19h: Roda de Conversas: Luta e Resistência da Cultura Negra em Campinas – Dez anos de Nação Nagô!

Com a presença de TC Silva Casa de Cultura Tainã + Alceu Estevan (Urucungos) +  Alessandra Ribeiro (Casa de Cultura Fazenda Roseira) + Glória Cunha (Maracatucá) +  Benê Moraes (Savurú) + Convidadas e convidados

Local: Casa de Cultura Tainã – Rua Inhambu, 645 – Vila Padre Manoel de Nóbrega

18 de Outubro

14h: Apresentação do Grupo Urucungos Puítas e Quijengues +  Grupos de Culturas Populares

Local: Praça José Bonifácio no Largo da Catedral Metropolitana de Campinas – Av. Francisco Glicério, s/n, Centro

17h: Apresentação Coral Guarani da Aldeia Tenondé Porã (Parelheiros-SP)

Exibição de filmes com a temática Indigena

– ”Uma Casa, Uma Vida”, de Alexandre Lemos, Edu Yatri Ioschpe, Rodrigo Soares – Coletivo Raiz das Imagens

– ”Guarani, Resiste!”, de Leonardo Chagas, Patrick Torres, Pedro Biava

– ”Ideas del CINE Insurgente”, de Ação Direta de Vídeo Popular

Debate com a presença da liderança Guarani Jera Giselda

Local: Praça Rui Barbosa – Rua 13 de Maio, s/n, Centro

19 de Outubro

15h: Mostra Luta na Ocupação Joana D’Arc

Exibição de filmes – Sessão 6

– “Narradores do Jardim Paraná”, de Do Morro Produções/Avelino Regicida/Esquina da Memória

– “Perifa Sobre Rodas” – Edição I, de Perifa Skate

– “Perifa Sobre Rodas” – Edição II, de Perifa Skate

– “Renascer – Associação de Catadores de Materiais Recicláveis do Centro de Campinas”, de Bruna Zanolli e ITCP-Unicamp

– “Copa Para Quem (?)”, de Corte Seco, Coletivo Ecoar

Local: Ocupação Joana D’Arc – Rua Padre Donizette Tavares de Lima, S/N – Bairro Cidade Jardim

19h: Festa de Encerramento 7ª Mostra Luta! 2014

+Projeções +Música +Intervenções +Poesia

Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) – Rua Regente Feijó, 859, Centro

Obs.: Em caso de chuva, as atividades programadas em espaços abertos serão transferidas ao Museu da Imagem e do Som de Campinas.

Fonte: Com informações do site www.mostraluta.org

Read Full Post »

Este post traz duas dicas excelentes de filmes sobre a temática LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Trangêneros) e Direitos Humanos.

O assunto tem tudo a ver com o calendário de dezembro e não estou falando do fim do mundo, Natal ou coisas do tipo, mas sim do estabelecimento da Declaração Universal dos Direitos Humanos, comemorada no dia 10.

As duas obras são baseadas em histórias reais e retratam a luta do movimento GLBT americano em busca de respeito e de direitos iguais.

Sem dúvida são histórias para fortalecer os ideais, renovar os conceitos, inspirar novas ações e atitudes e praticar o respeito ao próximo.

Política e Diversidade Sexual

milk-avozdaigualdade

A primeira dica é o filme Milk – A Voz da Igualdade”, estrelado pelo ator Sean Penn, que conta a história do nova-iorquino Harvey Milk que resolve concorrer às eleições para a Câmara de Supervisores da cidade de San Francisco tendo como principal bandeira de luta a defesa dos direitos LGBT. Apesar da resistência popular ele se torna o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância nos Estados Unidos e a combater as legislações discriminatórias da época.

O filme mostra o crescimento do movimento gay contra a homofobia e em defesa da livre expressão sexual.

Religião e sexualidade

payersforbobbyposter

Em “Orações para Bobby” (Prayers for Bobby) a história agora é outra. O filme, baseado no livro homônimo de Leroy F. Aarons, conta a história de Bobby Griffith um adolescente que tenta reprimir seus sentimentos por ser oprimido pela família cristã conservadora que tenta curá-lo do pecado carnal, principalmente sua mãe fanática religiosa.

Durante seu despertar sexual e acometido pelas preocupações religiosas e morais ele busca aceitação social e também acabar com seu sofrimento. E encontra resposta no suicídio.

Diante da tragédia e da dor, sua mãe abre os olhos e busca conforto em um grupo de autoajuda para pais com visão religiosa mais ampla e que defendem incondicionalmente os direitos dos gays.

Respeitando as diferenças

Não vou me aprofundar contando essas duas histórias tocantes. Apenas digo que os dois filmes caminham no sentido de amenizar o preconceito, entender e respeitar a luta dos ativistas LGTB e combater a homofobia. Mas isso só será possível se você assisti-los com a mente e o coração abertos.

Read Full Post »

No final de 2011 conheci em alguns blogs o projeto 101 coisas em 1001 dias e, desde então, tenho pensado muito nas minhas metas.

Essa ideia tomou mais forma depois que fiz a formação em Practitioner pelo Metaforum – Universidade de Verão. Lá falamos muito sobre priorização e organização das coisas e, principalmente, sobre planos e metas de vida.

Nessas últimas semanas aprendi muito sobre como é importante definir e nos mantermos focados em nossos objetivos pessoais na vida e como nossa mente pode nos auxiliar em nossas conquistas e metas.

Então, essa é a minha lista de 101 coisas que quero fazer no prazo de 1001 dias.

MINHA LISTA: 101 coisas em 1001 dias

  • O projeto: Completar 101 metas previamente estabelecidas no período de 1001 dias.
  • Critérios: As tarefas precisam ser específicas, realistas e mensuráveis.
  • Início: Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2012
  • Término: Segunda-feira, 3 de Novembro de 2014

Legenda:
– itens cancelados
itens em andamento
itens concluídos

Crescimento Pessoal e Profissional
1. Estudar Inglês para melhorar meu nível de conversação
2. Participar de um treinamento de desenvolvimento pessoal no Instituto Tadashi Kadomoto
3. Participar de um treinamento de desenvolvimento pessoal do Massaru Ogata
4. Fazer o treinamento do Master Practitioner
5. Participar de um treinamento de desenvolvimento pessoal no Intra
6. Montar meu portfólio de serviços web (disponibilizar esses serviços aqui no blog)
7. Aprender a dirigir e “tirar” carta de motorista
8. Fazer um curso de mestrado (pós graduação ou MBA)
9. Fazer um curso de Jornalismo Digital ou Webwriting (atualização)
10. Aplicar os princípios da Programação Neurolinguística (PNL) diariamente em minha vida
11. Fazer um curso de Google Adwords e¬¬/ou Links Patrocinados
12. Fazer a prova do 8Ps do MKT Digital
13. Atualizar meu Currículo Lattes (regularmente, de acordo com minha produção profissional ou acadêmica)

Viagens, Lazer e Cultura
14. Ir ao “Wet’n Wild”
15. Viajar para a Austrália
16. Viajar para Lençol Maranhense
17. Viajar para Amazonas, principalmente, para Parintins para conhecer o Boi Azul – Caprichoso
18. Conhecer o Museu da Língua Portuguesa
19. Conhecer o Museu do Futebol
20. Visitar a Bienal do Livro de São Paulo
21. Ir ao cinema, pelo menos 30 vezes (média de uma vez ao mês)
22. Ir ao teatro, pelo menos 10 vezes (média de uma vez por trimestre)
23. Visitar Florianópolis (retornar à Lagoa da Conceição e Praia Mole)
24. Assistir a um espetáculo teatral/musical por ano
25. Ir a um show internacional
26. Conhecer Jau ou Franca (cidade dos calçados)
27. Fazer intercâmbio ou mobilidade internacional
28. Fazer uma lista das cidades brasileiras e países que eu pretendo conhecer um dia e conhecer uma delas por ano
29. Visitar a Igreja Messiânica (para matar a saudade)
30. Visitar o Solo Sagrado de Guarapiranga, em São Paulo
31. Ir pelo menos uma vez ao carnaval no sambódromo de SP
32. Ir pelo menos uma vez ao carnaval na Sapucaí no RJ
33. Ir pra balada (ao menos duas vezes por ano)
34. Comprar e assistir a série completa do “Dr. House”
35. Comprar e assistir a série completa de “Gilmore Girl”
36. Assistir os 6 episódios de “Star Wars”

Limpeza e Organização
37. Arrumar uma costureira de confiança para remodelar minhas roupas velhas
38. Organizar minhas fotografias antigas (principalmente as fotos das minhas viagens internacionais)
39. “Tirar” meu visto para EUA
40. Listar os livros que quero ler, organizar um calendário de leitura e escrever uma resenha/crítica para cada um dos livros que eu ler nestes 1001 dias (postar aqui no blog)
41. Fazer uma lista dos filmes que desejo assistir e escrever uma resenha/crítica para cada um dos filmes que eu assistir nestes 1001 dias (postar aqui no blog)
42. Imprimir fotos da família, colocar em porta-retratos e espalhar pela casa
43. Fazer uma lista de “Mudanças de Hábitos” para ser colocada em prática por 30 dias
44. Organizar uma lista e cronograma de leitura dos e-books
45. Fazer uma nova lista de 101 Coisas ao final do período desta lista

Culinária e Gastronomia
46. Aprender a cozinhar (nível intermediário/médio, mais do que o trivial)
47. Comer uma comida diferente (postar aqui no blog)
48. Oferecer um Jantar ou Almoço para minhas amigas

Hobbies e/ou Trabalhos Manuais
49. Executar pelo menos um projeto fotográfico (postar aqui no blog o desenvolvimento até a finalização do projeto)
50. Fazer uma peça de bijuteria por semestre (para uso pessoal)
51. Responder as “50 perguntas que Free Your Mind” (postar aqui no blog)

Saúde, Corpo e Esporte
52. Ir ao dentista para um tratamento odontológico completo
53. Fazer atividade física com regularidade (spinning)
54. Emagrecer 5kg e manter este peso por pelo menos 3 meses
55. Usar todos os cremes que tenho, porque são muitos (não comprar nenhum creme por pelo menos 10 meses ou até terminar de usar todos os que tenho)
56. Usar todos os perfumes que tenho, porque são muitos (não comprar nenhum perfume por pelo menos 10 meses ou até terminar de usar todos os que tenho)
57. Aprender a fazer uma escova (secador + chapinha) igual às feitas no salão de cabeleireiro
58. Aprender a meditar e praticar regularmente
59. Comer pelo menos uma fruta fresca por dia
60. Aprender a nadar
61. Aprender a correr e praticar regularmente (conhecer o CUCA)
62. Fazer algum esporte radical (de preferência ir ao Rio de Janeiro para saltar de Parapente)
63. Dermatologista: fazer tratamento contra as manchas na pele (rosto)
64. Usar os métodos da PNL e da Física Quântica para manter meu alinhamento energético (vibrações e pensamentos positivos)

Finanças, Investimentos e Compras
65. Vender minha casa em Hortolândia e comprar uma boa casa em Campinas
66. Dar um “up” na minha carreira de prestadora de serviços (emotizar)
67. Meta Top Secret (Vila Boa Vista)
68. Comprar um aparelho de fax
69. Comprar uma câmera digital ou filmadora semi-profissional
70. Poupar dinheiro (rever minha meta financeira)
71. Colocar R$ 10 na poupança para cada item cumprido da lista
72. Fazer um plano de Previdência Privada
73. Conhecer a Feira da Madrugada, em São Paulo
74. Conhecer a loja “Galinha Morta”, em São Paulo
75. Trocar meu Ipad 1 pelo 2
76. Levar minha pedra Turquesa (comprada na Turquia) para um Ouvires fazer um anel bem bonito
77. Matricular a Neze num curso de Desenho/Pintura

Relacionamentos: Família, Amigos, Colegas, Pets etc
78. Adotar um peixinho de estimação
79. Conhecer pessoalmente 5 amigos virtuais (somente amigos que conheço na blogosfera)
80. Visitar pessoalmente minhas amigas (com regularidade)
81. Ir pescar, pelo menos uma vez ao mês com a Neze
82. “Emotizar” um desejo secreto (só revelar quando ele for realizado)

Internet, Blog e sites (vida online)
83. Escrever e publicar posts para todos os itens concluídos desta lista
84. Manter minha meta de desenvolvimento estabelecida para este blog
85. Escrever pelo menos um post por semana
86. Finalizar minha lista de artigos pendentes
87. Ir a um encontro de blogueiros
88. Criar um cabeçalho bacana e exclusivo para o meu blog
89. Montar uma página de vendas (dentro deste blog) para todos os produtos que não quero mais e que estão seminovos
90. Analisar (revisar e dar dicas) para melhorias de um blog de uma amiga
91. Convidar uma amiga (especialista na área de Comunicação) para postar um artigo neste blog (uma vez por semestre)

Experiências Diferentes
92. Dormir sob as estrelas
93. Acampar
94. Deixe uma nota de inspiração dentro de um livro para alguém encontrar
95. Visitar um asilo
96. Participar anualmente do projeto Doe Palavras (escrevendo cartas para pacientes internados)
97. Adotar anualmente uma criança carente no fim de ano (projeto da Casa de Jesus ou outro)
98. Levar meus familiares e amigos ao trabalho de prosperidade oferecido pela Casa dos Tarefeiros
99. Aprender a jogar xadrez
100. Apadrinhar uma criança carente ou um analfabeto
101. Escrever 5 cartas (manuscritas) para alguns amigos(as)

Mais informações sobre o projeto 101 coisas em 1001 dias:
Blog Patrícia Muller (projeto publicado originalmente neste blog)

Projeto Dia Zero (site com listas online)

Fan page do projeto no Facebook
Site Timeandate (ferramenta que ajuda a calcular/planejar as datas)

A tragédia da vida não está em não alcançar seu objetivo.
A tragédia está em não ter nenhum objetivo a alcançar. ”
Benjamin E. Mays

Read Full Post »

O evento acontecerá dia 17 de setembro/11, no Centro de Convivência Cultural, para discutir internet para todos e Cultura Digital. Banda larga livre e atividades culturais

Inscreva-se já!

Arena Digital Campinas é um evento sobre Cultura Digital e um espaço para discutir a democratização da banda larga em Campinas e Região e no País com o Plano Nacional de Banda, projeto do governo federal  de universalização dos serviços de internet. É organizado pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, presidida pelo vereador Sérgio Benassi (PCdoB), em parceria com a IMA (Informática de Municípios Associados), Unicamp, CPqD, Ciatec, ONGs e projetos como CDI – Comitê para Democratização da Informática -, Casa de Cultura Tainã, Prouca – Programa Um Computador por Aluno, Associação Campineira de Imprensa, Jovem.Com, Sindicato dos Jornalistas, Centro de Estudos Barão de Itararé e as secretarias municipais de Educação, Cultura, Assistência e Coordenadoria da Juventude. Tem  apoio cultural da Sanasa, Agência Click Ideia e Elemídia.

O  evento reunirá especialistas, políticos, empresários e estudiosos em mesas redondas que debaterão os temas relacionados à banda larga e cultura digital, tais como Infraestrutura digital, Economia digital, Educação, Memória e Comunicação.  O intuito é trazer a sociedade civil organizada e prefeituras da RMC para as discussões das cidades digitais e também é conscientizar professores e estudantes do ensino médio e das universidades de Campinas e região, além de usuários da rede mundial de computadores,  sobre a diversidade de possibilidades abertas pelas novas tecnologias no campo da educação e do trabalho.

O Arena Digital Campinas acontecerá  no dia 17 de setembro, no Centro de Convivência Cultural. As inscrições são gratuitas. Inscreva-se já! Todos os participantes receberão certificados. Participe do Arena Digital Campinas no Facebook, no Twitter e no Youtube.

 

Programação

A programação do Arena Digital Campinas abrigará oficinas de redes sociais, tvweb, rádioweb, fotografia e música eletrônica, feira de instalação de software livre, apresentação de projetos tecnológicos e educacionais, telecentros e algumas atividades serão transmitidas ao vivo pela internet. A IMA disponibilizará um sinal de wirelless livre de 15 Mbps (Megabites por segundo). Haverá telecentros disponíveis para oficinas e navegação, mas o usuário pode levar seu laptop, tablet ou celular com conexão à rede.

As mesas redondas vão discutir Infraestrutura, Economia, Educação/Memória, Cultura e Comunicação digitais. Entre os participantes está o sociólogo e professor Sérgio Amadeu da Silveira, conselheiro do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br), um dos nomes mais atuantes na luta pela democratização da banda larga. Participam também uma das coordenadoras da Campanha Nacional – Banda Larga é um Direito Seu!, Veridiana Alimonti; o coordenador da Rede Brasil Atual, Paulo Salvador; o presidente da IMA, Pedro Ziller, e o da Ciatec, Luiz Carlos Rocha Gaspar; o presidente da RMC, Hamilton Bernardes Jr.; o coordenador do Ubuntu SP, Kemel Zaidan; os secretários de Educação e o do Esporte e Lazer de Campinas, Márcio de Andrade e Gustavo Petta; o professor da Unicamp, José Valente e a pesquisadora Cristiane Dias, do Labeurb, entre outros. (Veja programação completa)

 

Programação Dia 17

8h30 – Cadastramento – Salão de Entrada
9h30 – Abertura Oficial – Teatro Luís Otávio Burnier

10h – Mesa redonda: O que é PNBL e sua importância para o desenvolvimento nacional – Teatro LOB
Sérgio Amadeu – Conselheiro do CGI.br
Veridiana Alimonti – Inst. Bras. de Defesa do Consumidor – IDEC / Campanha Nacional da Banda Larga

11h30 – Mesa: Banda Larga e RMC: Projeto Cidade Digital – Teatro Luís Otávio Burnier
Pedro Ziller – Presidente da IMA (Informática de Municípios Associados)
Hamilton Bernardes Jr – Prefeito de Pedreira e Presidente da RMC
Marcos de Carvalho Marques – CPqD – Mapa Cidades Digitais

11h30 – Mesa: Transmissão de grandes eventos esportivos e o torcedor 2.0 – Sala Carlos Gomes
Gustavo Petta – Secretário Munic. de Esporte e Lazer
Joel Benin – Ministério dos Esportes – Copa do Mundo 2014

13h – Intervalo para Almoço

13h30 – Mesa: Banda Larga e Cultura Digital na Educação/Memória – Teatro Luís Otávio Burnier
Prof. José Valente Unicamp-Nied
Márcio Rogério Silveira de Andrade – Secretário Mun. Educação de Campinas/Prouca
Manoel Dantas – Click Ideia

13h30 – Mesa: Banda Larga e mercado digital – Sala Carlos Gomes
Luis Carlos Rocha Gaspar – presidente do Ciatec
Rodrigo Saraiva – Diretor da Elemídia
Kemel Zaidan – Coordenador do Ubuntu SP

15h30 – Mesa: Comunicação e informação na cultura digital – Sala Carlos Gomes
Guto Camargo – presidente do Sindicato dos Jornalistas de SP
Barão de Itararé
Paulo Salvador – Rede Brasil Atual

15h30 – Mesa: Cultura Digital e Sociedade – Teatro Luís Otávio Burnier
TC – Ponto de Cultura Tainã
Cristiane Dias – Pesquisadora do Labeurb-Unicamp

Oficinas nos telecentros e Galeria B:
10h – Jogos Sesc
11h e 15h – Redes Sociais
12h – Rádioweb
12h – Tvweb
10h e 13h – Foto digital
11h e 15h – Música Eletrônica
11h30 e 14h – Robótica

Exposições no Teatro de Arena:
Jovem.com
CDI -Comitê pela Democratização da Informática
Prouca – Programa Um Computador por Aluno
Agência Click Ideia
CPqD – Tecnologias
Ciatec
Ubuntu

Atividades paralelas no recinto:
Ônibus E-Gov: atendimento e serviços on line
Sanasa Móvel: Atendimento ao público
Monitoramento das câmeras do Cimcamp ao vivo

 

Campanha Nacional de Banda Larga

O Arena Digital Campinas foi incluído no roteiro da Campanha Nacional pela Banda Larga, aderida por dezenas de entidades no País. O evento será o pontapé inicial para um fórum permanente de debates sobre uma Campinas digital.

Veridiana Alimonti, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumido (Idec) e coordenadora da Campanha Nacional  “Banda Larga é Direito seu!”, que fará parte da mesa redonda sobre PNBL e Desenvolvimento, afirma que a luta dos movimentos sociais é não só democratizar o acesso à banda larga, mas oferecer um serviço de qualidade e barato. “Esta é uma bandeira estratégica para o desenvolvimento do País”.

Atualmente o serviço de internet oferecido pelo mercado deixa à desejar, primeiro por não universalizar; segundo por ser caro; terceiro por ser ineficiente. As empresas não são obrigadas a entregar toda a banda que oferecem. Por isso, o governo federal desenvolveu o Plano Nacional de Banda Larga, com intuito de universalizar o acesso, mas a pressão das multinacionais têm sido forte em favor de seus interesses lucrativos. Os movimentos sociais fizeram um manifesto: ”…É necessário que se faça uma vigília permanente para que as políticas de banda larga estejam pautadas no interesse público, o que já sofre reveses. Os rumos recentes tomados pelo governo reforçam o abandono da ideia de serviço público como concretizador de direitos e privilegia soluções sob uma lógica de mercado.”

Segundo o vereador Sérgio Benassi, presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara Municipal de Campinas, com a sociedade, as empresas e o poder público interagindo pela internet e a exigência cada vez maior deste dinamismo nos relacionamentos digitais, é preciso pensar de maneira coletiva e democrática de fazer a cidade se desenvolver neste sentido. “Campinas e região sempre foram vanguarda em tecnologia e políticas públicas. Vamos com este evento reunir as principais instituições de nossa cidade e região nesta área para ampliarmos o debate sobre  Campinas Digital e um País mais conectado”.

 

CCC é transformado em estação digital

A realização do Arena Digital Campinas no Centro de Convivência Cultural já trouxe um avanço permanente ao acesso à banda larga para os usuários do local e para a cidade.  A IMA (Informática de Municípios Associados) transformou todo o complexo formado pelos de teatros de Arena e Luís Otávio Burnier, Sala Carlos Gomes salas e galerias A, B e C, Administração, Orquestra Sinfônica, além de toda Praça Imprensa FLuminense numa estação digital. Todos os ambientes receberão cabos de fibra óptica ou wireless com acesso livre.

O acesso à banda larga abre novas possibilidades de uso dos espaços do CCC,  que poderão ser utilizados para eventos, palestras, oficinas ou cursos que exijam utilização da rede mundial de computadores.

 

Acontecerá no Arena Digital Campinas

– O presidente da IMA (Informática de Municípios Associados), Pedro Jaime Ziller, na mesa sobre Banda Larga e RMC – Projeto Cidade Digital, apresentará os avanços do plano em Campinas. A IMA será responsável pela implementação do Plano Nacional de Banda Larga na Região Metropolitana de Campinas.

– O diretor do CPqD, Marcos de Carvalho Marques, apresentará o estudo do ranking de cidades digitais no Estado e seus avanços desde 2005. O CPqD também fará uma demonstração do T-Cod, software direcionado para Educação, que está quase pronto para revolucionar o conceito de ensino nas salas de aula, levando mais interatividade entre alunos e professores. O software receberá um novo nome para chegar ao mercado.

–  O secretário de Esportes e Lazer, Gustavo Petta, debaterá com o coordenador de Comunicação da Copa 2014, Joel Benin, as transmissões de grandes eventos esportivos e a novas tecnologias utilizadas pelo torcedor  que mais interativo.

– A UCA Unicamp (Um Computador por Aluno), que tem parceria com a Secretaria Municipal de Educação, fará apresentação do projeto “Robótica na Escola”, coordenado pelo professor José Valente do Nied (Núcleo de Informática para Educação) da Universidade Estadual de Campinas. As crianças e professores poderão programar os robozinhos com os netbooks quer serão utilizados em todas as escolas infantis do município.

– A mesa sobre Banda Larga e Mercado Digital terá representantes da Elemídia, empresa de comunicação em elevadores; do Ubuntu, sistema operacional desenvolvido em plataforma Linux e do Ciatec, incubadora municipal de empresas de tecnologia. A discussão girará em torno dos novos profissionais e o desenvolvimento de tecnologias próprias e independentes no País. O pessoal Ubuntu também fará um feira de instalação de softwares livres.

 

Mais:

Ø Wirelles de 15 megabites livre em todo o Centro de Convivência.

Ø O Sesc Campinas fará oficinas de jogos educativos.

Ø A Associação Campineira de Imprensa (ACI) será responsável pela oficinal de Redes Sociais

Ø O CDI – Comitê de Democratização da Informática dará oficinas de RádioWeb e Foto Digital.

Ø A ONG E-Jovem fará oficina de TVWeb.

Ø A Aimec (Academia Internacional de Música Eletrônica) ministrará uma oficina de composição e edição de música digital

Ø O ônibus E-Gov da Prefeitura e o Sanasa Móvel estarão atendendo  ao público no dia.

Ø O Cimcamp fará transmissão ao vivo das câmaras de vigilância.

Ø Transmissão ao vivo pela internet pela Casa de Cultura Tainã e Net Comunidade.

 


Read Full Post »

Eu confesso!!!

Fui eu… fui eu… fui em quem…

Desliga o rádio, por favor!

Caso contrário eu não consigo me concentrar!

Confesso que cheguei ao meu limite: NÃO AGUENTO MAIS OUVIR AS CRÍTICAS DO ARNALDO JABOR!

SIM… SIM… SIM… Os incomodados que se mudem…

Terei que mudar a estação do rádio quando ele  fizer sua aparição entorpecida.

Hoje foi a gota d’água para o mar inteiro… o oceano… as cataratas de Foz do Iguaçu transbordarem. Ouvindo a CBN, “a rádio que toca notícia” – conceito duvidoso, por sinal -, tive o desprazer de ser surpreendida por mais uma crônica desumana, desleal e desnecessária do colega Arnaldo Jabor.

São falas verborrágicas de um homem frustrado, sem perspectiva,  sem esperança, rancoroso,  que desdenha o país, faz pouco caso da política nacional, idolatra a cultura americana e se acha um grande intelectual.

Ao despertar para uma manhã chuvosa e preguiçosa, ouvir sua crítica histérica faz meus ouvidos sangrarem e minha face corar de vergonha de ter ele como um colega de profissão.

Vamos à comparação:

Ele se intitula: “Carioca nascido em 1940, o cineasta e jornalista Arnaldo Jabor já foi técnico de som, crítico de teatro, roteirista e diretor de curtas e longas metragens. Na década de 90, por força das circunstâncias ditadas pelo governo Fernando Collor de Mello, que sucateou a produção cinematográfica nacional, Jabor foi obrigado a procurar novos rumos e encontrou no jornalismo o seu ganha-pão. Estreou como colunista de O Globo no final de 1995 e mais tarde levou para a TV Globo, no Jornal Nacional e no Bom Dia Brasil, o estilo irônico com que comenta os fatos da atualidade brasileira”.

Mas na verdade ele é um pseudo cineasta (desconheço quem tenha assistido a um filme produzido/dirigido por ele e desafio quem tenha gostado caso tenha assistido), pseudo escritor (não li nada escrito por ele… ouvir ou ler suas criticas diárias já dá muita dor de cabeça, ler um livro inteiro…. eu não mereço… que medo!), um jornalista por força das circunstâncias, por motivo de ganha-pão, não por talento (sem faro nenhum para notícia, sem elementos básicos de apuração. Ele conta com a intuição para basear-se nas críticas e textos que escreve… duvido muito que pesquise algo a fundo), político sem sucesso (ele foi candidato a deputado federal no RJ e não conseguiu emplacar mesmo sendo apoiado pela família Marinho), crítico sem talento (seria redundante dizer que ele não tem conteúdo nem embasamento teórico para suas escritas).

Enfim, um intelectual de proporções duvidosas que baseia seus textos e críticas em ideas próprias sem fundamento ou pesquisa. Sua inspiração para as produções textuais é seu ódio pela esquerda brasileira, pelo movimento social, pelo Lula, pelo PT, pelos políticos brasileiros. Sua força motriz é seu sentimento de descontentamento com tudo que o Brasil tem a oferecer. É indiferente à realidade brasileira, ele só faz esculhambar com tudo que ele não gosta ou desconhece.

Não estou aqui para fazer defesa ou levantar a bandeira vermelha, mas não dá pra lançar à lama tudo que já foi produzido no Brasil. Sejamos honestos o país tem problemas estruturais e políticos profundos, mas não podemos dizer que todo político não presta e todo homem que usa camisa rosa é homossexual. Dá para dizer isso? Você arriscaria dizer isso? Nem tanto ao céu nem tanto à terra!

Há quatro anos ouço os disparates produzidos por Jabor na internet, nos jornais nos rádios e não suporto mais ver como esse homem é cultuado como um intelectual… um pensador do Brasil. O que não é e não será nunca verdade! Ele não tem porte para ser intelectual… ele mal entende das coisas que diz… só é pago para dizer o que os Marinhos querem dizer mais não tem coragem.

Ao contrário de outros críticos conservadores que conheço que tem embasamento e fundamento teórico, científico ou político e fazem críticas contundentes, Arnaldo Jabor representa o que há de péssimo no jornalismo brasileiro.

Ele faz o papel de papagaio de pirata! Repete sempre as mesmas coisas baseada na ideia de que uma mentira repetida várias vezes torna-se verdade.

Não podemos nos enganar, sabemos o que está em jogo e quem e o quê o Jabor representa: os direitistas conservadores e manipuladores da informação, o conglomerado Marinho contrário à transformação do país e a elite brasileira incentivadora e incendiadora da política entreguista. Ele tem às costas largas e bem quentes! Sabe o poder da sua força! Sabe o peso do seu teclado! E usa isso de forma deprimente!

Ele vomita impropérios e escreve sem objetivo social. Não serve nem para dizer que faz críticas construtivas.

Confesso que este post foi um tanto quanto acido, mas são pouco mais de quatro anos ouvindo e lendo coisas que não retratam nossa realidade e que estão fora de contexto.

Arnaldo Jabor me desculpe a crítica ferrenha, mas assim não dá!!!Pega leve… você exagera nos adjetivos, escorrega nos conceitos e algumas vezes ultrapassa os limites da razão.

Eu não aguento!!!

E tome oração da serenidade!

Read Full Post »

Há tempos queria assistir o filme Milagre em Santa Anna de Spike Lee e não encontrava tempo e quando o tinha esquecia completamente de onde coloquei o DVD… loucuras minhas.

Não sou muito fã de filmes sobre a guerra, mas adoro filmes que reconstroem as histórias do passado. Mesmo que estes sejam apenas filmes, muitos baseados em fatos reais, mas com licença poética ou de compreensão.

Falar da Alemanha nazista ainda é um prato cheio para os cineastas do mundo inteiro… E renderá ainda muito pano pra manga, pode ter certeza.

O que falar de histórias de cumplicidade num ambiente hostil?

Spike Lee não poderia ficar de fora dessa. Também produziu seu filme com sua versão sangrenta sobre a guerra travada contra os alemães, sendo que esta se passa na Toscana (Itália) num vilarejo chamado Santa Ana.

Este filme comovente me fez refletir sobre como os negros eram tratados como lixo na guerra. Eram mandados para a linha de frente para poupar do combate acirrado os homens brancos. Não sou generalista, dizendo que todos os exércitos da terra maltratavam negros, mas que sempre houve diferença isso não dá pra negar até hoje.

É um filme que reforça a tese do cineasta de que negros e brancos não estão, ainda, em pé de igualdade, infelizmente!

E o que falar de Spike Lee que construiu sua carreira em cima de filmes que relatam o descaso, a indiferença, a discriminação e as injustiças cometidas contra negros americanos. Spike Lee tenta resgatar com seus filmes, histórias de vida que retratam anos após anos de opressão contra os negros, não só americanos, mas de forma geral, do mundo.

Diria que desta vez, ele não foi feliz tanto quanto em outros filmes, mas com um pouco de esforço do telespectador sua mensagem se faz ouvida, bem baixinha, mas se faz.

O filme fala das diferenças de tratamento entre brancos e negros, de confiança, de respeito, de lutar por um ideal – que nem sempre é seu – e de amor ao próximo.

Mas também fala de estereótipos que o próprio Spike Lee reforça entre os quatro soldados negros que protagonizam o enredo do filme: o malandro, o bobão, o que faz o que os outros mandam e o revoltado.

O início do filme tenta oferecer um mistério que se desvendará somente no final. Mas infelizmente, não é uma coisa que nos faz entender logo de cara. Ao final muitos podem achar que o início do filme poderia ter sido mais bem construído ou que o final poderia tem um enredo mais traçado. Ainda não sei se o problema está no início ou no fim do filme. Bom deixa pra lá!

Bom, de qualquer forma vale a dica para ver como um cineasta negro americano retrata uma guerra ao seu entender. São os olhos e ideais deste cineasta que se transportam para a tela de uma forma não tão consistente. Ele não foi feliz em mostrar as desigualdades, apenas balbuciou na tela que as diferenças existem. Mas isso todo mundo já sabe, né?

É bom dizer, que Spike já fez filmes bem melhores. Mas vale dar uma conferida para ver o que ele pensa.

Sinopse

Adaptação do romance de James McBride, ambientado durante a Segunda Guerra, que conta a história de quatro soldados americanos que fazem parte da 92º Divisão Buffalo Soldier – formada apenas por negros. Baseados na Toscana, Itália, em 1944, esses quatro homens caem numa armadilha preparada pelos nazistas. E acabam se separando quando um deles decide arriscar sua própria vida para salvar um garotinho italiano.

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: